28/02/2024 às 13h50min - Atualizada em 29/02/2024 às 00h12min

“6ª CDQ CON” leva música, quadrinhos e entretenimento para a Praça da Liberdade

Com entrada franca, evento homenageia produção musical mineira, reúne mais de 70 artistas, e promove atividades culturais para crianças, adolescentes e adultos

Aline Lourenço
Igor Clementino
 
A música e os quadrinhos se encontram para levar uma programação universal para a “6ª CDQ CON: Feira de Quadrinhos”, entre os dias 08 e 10 de março, na Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais (Praça da Liberdade, 21, Funcionários) e em seu anexo (rua da Bahia, 1.889, Funcionários). Com entrada franca e pet friendly, a sexta edição homenageia a música mineira, marcada por uma poesia e sonoridade próprias, e a coloca como co-protagonista em diversas das atrações de cultura pop e entretenimento que contemplam, além do público geek, crianças e famílias. As duas linguagens artísticas serão celebradas pelos mais de 70 artistas, sendo metade composta por mulheres, confirmados no evento.   
 
Entre os destaques da feira, será lançado o projeto de financiamento coletivo “Quadrinhos Sonoros, Vol. 1”, uma releitura em narrativa gráfica de clássicos compostos e/ou interpretados por Ary Barroso, Clube da Esquina, Djonga, Lamparina, Marina Sena, Tianastácia e outros mineiros. 20 quadrinistas, entre eles, Ana Paula Côrtes, Alexandre Tso, Maria Jupira, Gilson Ribeiro, Laura Jardim, Val Armanelli, João Belo, Daniel Bretas, Aline Cristine e Sunça, criaram os contos em arte sequencial.
 
“É um projeto que exalta a riqueza e diversidade do caldeirão musical de Minas Gerais. As artes e todo o processo criativo das histórias, que consistiu em muitas conversas com os homenageados e produtores, também serão expostos durante a CDQ CON em formato ampliado e alguns originais. A exposição seguirá em cartaz na Biblioteca Pública Estadual após a realização da CDQ CON”, revela Fabrício Martins, editor da coletânea e um dos curadores da CDQ CON.
 
No “Corredor dos Artistas”, os mais de 70 autores e ilustradores independentes vão levar novidades, permitindo que o público compre diretamente de suas mãos. Fabrício Martins e Laura Jardim vão apresentar “Longe de Tudo”, história que se passa em um futuro distópico, em meio a uma guerra entre as máquinas e a humanidade, quando nasce uma amizade entre um humano solitário na floresta e um robô. Marília de Aguiar estará com “Deby Dreamwalker”, no qual é coautora, uma viagem psicodélica por infinitos mundos de sonhos. Huíolla Ribeiro levará suas artes em aquarela. Cristiano Seixas estará com “O Luto Abissal”, seu primeiro livro de terror psicológico que narra a jornada de um professor que perde sua filha e encara seres grotescos no Rio de Janeiro da década de 1920, e tem ilustrações de Alexandre Tso.
Esse espaço é uma forma de valorizarmos as criações brasileiras e dar aos profissionais uma oportunidade de comercializar seu trabalho sem qualquer custo ou repasse de percentual de vendas. A CDQ CON é um dos poucos eventos de quadrinhos e cultura pop gratuitos, que dialoga diretamente com os artistas independentes de Belo Horizonte e os aparelhos culturais da cidade”, destaca o ilustrador Régis Luiz, um dos curadores da CDQ CON.
 
A CDQ CON reservou ainda uma programação especial para as crianças, com contação de histórias em quadrinhos dramatizadas; oficina com a Patrícia Garcia, “Enfrentando monstros e criando histórias em quadrinhos”, e de mangá com Valdo Alves. Para os adolescentes e adultos haverá estúdio de cosplay com roupas de personagens de quadrinhos e animes e serviço de maquiagem para fotografarem; sessão de modelo vivo com cosplayers para as pessoas desenharem; mesas de RPG com o grupo RPGirls; board games; exibição de jogos digitais; workshops “Andar & Ver, técnicas de esboço”, com Gilson Ribeiro, “Técnica de acabamento profissional”, com Dan Bretas, “Leitura dramática”, com Melânya Fiaux e Shirou, e outros.
 
Como em todas as edições, a feira tem a proposta de promover debates e reflexão, e realizará  mesas redondas sobre a criação de espaços femininos dentro de comunidades majoritariamente masculinas, com Jay, Nami Vianna, Carol Neves e Kátia Schittine; inclusão e acessibilidade na produção e no consumo das histórias em quadrinhos, com Cleide Fernandes, Eduarda Pereira e Val Armanelli; inteligência artificial e o mercado de quadrinhos, com Cristiano Seixas e Acir Piragibe; web comic, com Alec Azevedo, Yorhan de Araujo e Iara Naika; quadrinhos autorais e independentes mineiros, com Laura Jardim, André de Inácio, Lúcio Guimarães e Hill Rocha.
 
“As mesas possibilitam a profissionais com sólida experiência, iniciantes, jornalistas e público construírem uma experiência única do universo geek. Elas vão contar com a mediação de artistas selecionados para criar uma interação melhor entre todos os participantes”, finaliza Cristiano Seixas, idealizador e um dos curadores da CDQ CON.
 
6ª CDQ CON é uma realização da “Casa de Quadrinhos – Escola Técnica de Artes Visuais e Digitais”, com apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, do Circuito Liberdade e da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, com recursos viabilizados pelo Fundo Municipal de Cultura, e parceria com a LudoCafé, PUC Minas e Panini Point Cidade.
 
Abraço do Tamanduá
 
Outro destaque da mostra é o “Abraço do Tamanduá”, uma apresentação de novos artistas a editoras e especialistas. “Profissionais do setor de HQs e de personagens irão avaliar, ao vivo, projetos de quadrinistas, e apontar caminhos para a evolução do trabalho apresentado. Os seis artistas selecionados terão 10 minutos para apresentar sua obra e seus personagens, é como uma nova forma de uma Rodada de Negócios na área”, descreve a ilustradora e quadrinista Nami Vianna, uma das curadoras do evento.
 
Serviço “6ª CDQ CON: Feira de Quadrinhos”:
Entrada franca. Sujeito à lotação do espaço.
Data: 08 a 10 de março de 2024
Local: Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais (Praça da Liberdade, 21, Funcionários) | anexo da biblioteca (rua da Bahia, 1.889, Funcionários)
Horários:  10h às 22h (sexta e sábado) | 10h às 19h (domingo)
Informações: @cdqcon | [email protected] | (31) 99853-3486
Kubitscheck. O prédio sede foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Na biblioteca é possível encontrar mais de 570 mil exemplares tanto de autores nacionais quanto estrangeiros, incluindo obras raras. Além disso, ela reúne um grande acervo digitalizado, livros infanto-juvenis, jornais, revistas, audiolivros e acervo em Braile. Já o Anexo da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais, também conhecido como Anexo Professor Francisco Iglésias, foi inaugurado no ano 2000 após a reforma do antigo anexo da Secretaria da Fazenda, construído nos anos 70. A reforma proporcionou uma maior integração do prédio tanto com o entorno quanto com o prédio sede da Biblioteca Pública Estadual.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp