27/02/2024 às 17h19min - Atualizada em 28/02/2024 às 00h03min

Terreiros Nômades leva arte, história e saberes africanos, afrodiaspóricos e originários a escolas

Eliane Verbena
https://verbenacomunicacao.blogspot.com/2024/02/terreiros-nomades-leva-arte-historia-e.html
Divulgação (acervo N'kinpa)
Nos dias 05 e 12 de março, terças-feiras, a N’Kinpa - Núcleo de Culturas Negras e Periféricas realiza sua Chegança em duas escolas municipais da Zona Sul de São Paulo: respectivamente, na EMEF Ana Maria Alves Benetti (às 11h e às 13h30) e na EMEI Cruz e Souza (às 10h e às 14h30). Esta atividade integra as ações do projeto TERREIROS NÔMADES - Macamba Faz Mandinga - Saberes Afrodiaspóricos nas Corporeidades da Cena, dando início a uma série de atividades que envolvem os alunos, as escolas e a comunidade.

Contemplado na 41ª Edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, Terreiros Nômades visa valorizar as culturas africanas, afrodiaspóricas e originárias colaborando para a aplicação efetiva, por meio da linguagem artística pedagógica, das Leis Federais nº 10.639/03 e nº 11.645/08, que estabelecem a obrigatoriedade do ensino de história e de culturas afro-brasileira e indígena nas grades curriculares do ensino fundamental e médio. Essas duas escolas foram contempladas no projeto por serem instituições onde essas leis são aplicadas, levando a educação antirracista para além do material didático.

A Chegança pode ser entendida como um “assentamento” no “terreiro” das escolas, contendo os itens materiais, éticos, estéticos, políticos, filosóficos e estruturais para envolver os alunos e todos os membros da escola nesse cortejo, nessa macamba (o bando) que traz a mandinga (o remédio) para a contra-colonização dos corpos. Trata-se de um momento poético, um instante encantatório, onde sons (incluindo a presença de um DJ), cores, sabores e aromas se harmonizam, aguçam os sentidos para evidenciar a representatividade negra e indígena.

Ao longo de 2024, o projeto TERREIROS NÔMADES - Macamba Faz Mandinga - Saberes Afrodiaspóricos nas Corporeidades da Cena reúne várias atividades e estudos nas duas escolas. Trata-se das ações da coletiva N’kinpa em parceria com coletivos do entorno, vivências com mestres da cultura afrodiaspóricas, palestras e bate-papos com pensadores da cultura negra e indígena, encontros com pais, alunos e comunidade, programas de Podcast (A Cor da Nossa Cultura em Encontros e Redes) e criação de um espetáculo de teatro performático, concebido a partir de todo esse percurso, cuja estreia está prevista para novembro. Os temas abordados não serão restritos aos dias em que ocorrem as atividades. Nas semanas seguintes às ações, as escolas irão abordá-los e estudá-los junto aos alunos, expandindo as possibilidades de entendimento.

Segundo Joice Jane Teixeira, idealizadora e proponente do projeto Terreiros Nômades e coordenadora da coletiva N’kinpa, “a escolha da EMEF Ana Maria Alves Benetti e da EMEI Cruz e Sousa, além de serem escolas cujos projetos políticos-pedagógicos se pautam na implementação das Leis 10.639/03 e 11.645/08, deve-se ao fato de estarem localizadas no bairro do Jabaquara, na região sul da cidade, um dos territórios de grande relevância histórica para o povo negro”. E completa: “buscamos com estas ações, conteúdos e vivências estabelecer, além de um diálogo com crianças, jovens e adultos alargando o acesso às artes, devolver o que lhes foi negado, ou seja, as histórias e os saberes de povos que por conta do racismo estrutural histórico foram e ainda são invisibilizados”.

Terreiros Nômades traz os pontos riscados das filosofias do povo negro, tão apagada, usurpada e violentada na colonialidade. “Evidencia nossa própria memória como um elemento recuperador e mantenedor de quem somos, de onde viemos e onde queremos chegar. É preciso retirar os corpos negros das ilusões e falácias de pertencer a um sistema racista colonial que nunca nos quis e nunca nos viu como seres humanos”, finaliza Joice Jane Teixeira.

TERREIROS NÔMADES - Macamba Faz Mandinga
Atividade: Chegança (restrito às escolas)
Com: N’KINPA – Núcleo de Culturas Negras e Periféricas. 

05 de março (terça) - EMEF Ana Maria Benetti
Horários: Manhã - às 11h / Tarde - às 13h30
Rua Cruz das Almas, 74 - Vila Campestre. São Paulo/SP.

12 de março (terça) - EMEI Cruz e Souza
Horários: Manhã - às 10h / Tarde - às 14h30
Rua Henrique da Costa, 348 - Jardim Itacolomi. São Paulo/SP.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp