26/01/2024 às 18h29min - Atualizada em 30/01/2024 às 00h09min

Tendência: locação flexível de imóveis deve agitar mercado neste ano

Pesquisa da Agência Today mostrou que 80% dos jovens entre 25 e 39 anos preferem alugar um imóvel a comprá-lo

Eduardo Betinardi
Divulgação/Greystar
De acordo com o levantamento de 2023, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de brasileiros que vive em domicílio próprio vem caindo desde 2016. Em contrapartida, em seis anos, a parcela da população que mora em imóveis alugados cresceu quase 3%. Esta busca pela flexibilidade é reforçada pela pesquisa da Agência Today, que mostra que 80% dos jovens entre 25 e 39 anos preferem alugar um imóvel a comprá-lo.

“O brasileiro está refletindo sobre as vantagens de viver de aluguel. Ainda há uma carga cultural grande para compra, mas muitos já perceberam que a aquisição nem sempre é a melhor opção”, diz o Diretor de Operações da incorporadora e gestora imobiliária global Greystar, Cristiano Viola. A Greystar, que entregou seu primeiro empreendimento no Brasil em 2023 e conta com outros sete em desenvolvimento, todos na cidade de São Paulo (SP), é a empresa líder do mercado imobiliário, com experiência em gestão de propriedades, gestão de investidores e desenvolvimento de serviços em habitação, logística e outros setores.

Este novo cenário está fazendo com que muitas empresas que atuam no Brasil apostem em empreendimentos voltados exclusivamente à locação, a exemplo do que já ocorre nos Estados Unidos, Europa e Ásia. A prática deve ser uma das grandes tendências do mercado imobiliário brasileiro durante o ano de 2024. “Estamos falando de um tipo de serviço muito comum no resto do mundo que está sendo tropicalizado. Uma nova forma de morar, que é uma consequência da forma como trabalhamos e estamos vivendo”, ressalta Viola.

De acordo com o especialista, o objetivo desses empreendimentos é oferecer o melhor lugar possível para viver bem – incluindo áreas para home office, seja no espaço privativo ou nos coworkings. “Toda a infraestrutura desenvolvida é baseada nos hábitos de consumo e demandas da população local. No Brasil, além das tradicionais áreas comuns, os projetos tendem a garantir studio de podcast, área pet com pet wash, salas de spining e yoga e até mesmo o espaço para o churrasco”, esclarece. 

A tendência é que os projetos de locação flexível ataquem justamente as novas demandas da sociedade, como a locação temporária de maneira simples e profissional dentro deste contexto de trabalho dinâmico. “Nessa nova realidade, muitas pessoas buscam lugares para viver sem a obrigação de fazer um contrato de 30 meses. Na Greystar, por exemplo, a duração de cada contrato é variável, de acordo com a necessidade do cliente”, explica o Diretor de Operações da Greystar, Cristiano Viola.

Os apartamentos nesse formato são entregues no padrão americano: com marcenaria de cozinha e banheiro, geladeira, forno, cooktop, depurador, micro-ondas, máquina lava e seca e ar-condicionado central. Existe ainda a possibilidade de optar por imóveis mobiliados. “Esse segmento é bastante consagrado em mercados internacionais. No Brasil, apesar de ainda ser recente, já está ganhando bastante força e tende a crescer cada vez mais por facilitar a vida dos moradores”, complementa Viola.
 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp