29/01/2024 às 11h21min - Atualizada em 30/01/2024 às 00h08min

Pesquisa da Abrasel indica que 75% dos bares e restaurantes que vão abrir no Carnaval esperam faturar mais que em 2023

O levantamento indica, ainda, que o número de empresas operando em prejuízo foi de 18% em dezembro - menor índice desde outubro de 2022

Tatiane Raquel Ferreira Ribeiro
https://abrasel.com.br/
Rovena Rosa - Agência Brasil

A expectativa dos bares e restaurantes para o Carnaval é positiva, e os dias de folia devem contribuir para o lucro no setor: segundo pesquisa nacional da Abrasel realizada com 1.878 empreendedores, 81% devem abrir durante os dias da festa e dentre esses, 75% esperam faturar mais que em 2023 (enquanto 20% esperam faturar o mesmo e apenas 5% esperam faturar menos).

O levantamento indicou que a média de aumento no faturamento esperado é de 15% em relação ao ano passado e 17% em comparação a um fim de semana normal.

A pesquisa ainda trouxe informações sobre o grau de importância que o Carnaval terá para os estabelecimentos: 33% dos estabelecimentos que vão abrir no Carnaval dizem que a data é extremamente importante/muito importante no faturamento. Para 24% é mais ou menos importante, para 25% é pouco importante e 18% dizem que o impacto da data não é importante.

Para o presidente-executivo da Abrasel, Paulo Solmucci, a expectativa positiva para o setor em função da data é reflexo do atual cenário econômico favorável no Brasil. Porém, existem outros desafios que o setor enfrenta, como a alta taxa de empresas endividadas.

“O cenário de queda da inflação e dos juros, aliado ao aumento no número de empregos, cria um ambiente propício para um Carnaval mais lucrativo para bares e restaurantes. A união desses fatores impulsiona o poder de compra dos consumidores e contribui para nos fazer acreditar em um Carnaval com crescimento de até 15% no faturamento do setor", afirma.

"O atual cenário econômico também teve influência na queda da porcentagem de estabelecimentos operando em prejuízo, o menor índice desde outubro de 2022. O que ainda representa um desafio para o setor são as dívidas, que seguem afetando o dia a dia de boa parte das empresas", continua.

Apesar da melhoria no faturamento, ainda há dificuldade dos empreendedores em conseguir quitar as contas atrasadas, adquiridas durante o período mais crítico da pandemia”, finaliza.

Menor número de empresas em prejuízo

A pesquisa ainda traz informações sobre o faturamento do setor em dezembro de 2023. A taxa de estabelecimentos operando sem fazer lucro foi de 18% - menor número desde outubro de 2022. 34% ficaram em equilíbrio e 48% tiveram lucro (5% a mais em relação a novembro do mesmo ano).

Quanto ao endividamento das empresas, 40% dos estabelecimentos do setor têm contas em atraso. Dessas, 70% devem impostos federais, 45% impostos estaduais, 39% empréstimos bancários, 30% encargos trabalhistas e previdenciários, 26% serviços públicos (água, gás, energia elétrica), 23% taxas municipais, 20% devem a fornecedores de insumos e 19% estão com o aluguel atrasado.

Confira a íntegra da pesquisa clicando aqui.


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp