26/01/2024 às 12h47min - Atualizada em 26/01/2024 às 20h01min

Como usar a internet a seu favor?

Especialista em marketing explica porque se posicionar no digital é fundamental na atualidade

EP
EP
Comunicação Uma Agência
Não é de hoje que pesquisas e especialistas discutem que o volume de uso das redes sociais pode afetar a saúde mental, causando transtornos como ansiedade e depressão. Mas, é possível empreender sem estar em evidência no digital? Para a especialista em marketing, Marina Bittencourt, isso está fora de cogitação. “O mundo gira em torno da internet. Qualquer serviço ou produto que as pessoas precisam são imediatamente buscados na internet Então, se você não estiver presente no ambiente digital, dificilmente será visto”, afirma ela. Para a profissional, a ideia é usar a internet a seu favor, para que você seja visto pelas pessoas certas, pelos clientes certos.
E qual rede social eu preciso usar para alcançar meus objetivos de venda? Marina explica que tudo depende do público que você quer alcançar e para isso é fundamental que o empreendedor conheça de fato o seu público alvo.  “Se o seu público é um público de 40, 45, 50 anos, bem provável que ele esteja no Facebook. Já se é entre os 25, 30, 35 anos, é mais possível que tenha melhores resultados no instagram. E indo para uma faixa etária ainda mais jovem, já vale se posicionar no Tik Tok”, explica. “Ainda assim, sempre vai depender de qual produto ou serviço está sendo oferecido, o que faz com que sejam necessárias análises mais profundas”, destaca.
Falando do tipo de conteúdo a ser veiculado, a especialista conta que depende do objetivo. Se este é ganhar seguidores e aumentar a quantidade de público, a ideia é você fazer conteúdo “topo de funil”, que é um conteúdo mais genérico, não tão específico, falando de assuntos que cheguem à massa. Já quando o objetivo é conseguir clientes, fazer a venda diretamente, o conteúdo pode se aprofundar e abordar a dor de possíveis clientes. Quando falamos de criar autoridade, para Marina, o ideal é postar um conteúdo menos generalista, entregando mais qualidade, sem aprofundamento, o chamado “meio de funil”.
O que de fato é importante e do que não se pode fugir é ser freqüente, inclusive mostrando sua rotina e criando um relacionamento mais próximo com o público, que de seguidores podem se tornar clientes.
“Ninguém segue alguém que só vai vender. Tanto é que é muito mais fácil um perfil pessoal crescer do que um perfil profissional. Um grande exemplo disso é o mercado de ‘influencers’. Pessoas seguem pessoas. Então, o ideal é humanizar. Como fazer isso? Colocando a cara do responsável pela empresa, mostrando o contexto dos colaboradores, a rotina. Pessoas se conectam com pessoas”, enfatiza.
Para finalizar, a profissional explica que o tráfego pago é fundamental, tendo em vista que leva os perfis e conteúdos a aparecerem para os clientes ideais e não apenas para os seguidores. “Mas, nada disso adianta se você não souber quem é o seu cliente ideal, se você não souber quem é o seu público e onde ele está. Então, você precisa entender para quem você quer falar, quem você quer atingir, para quem você quer vender. Daí em diante, o tráfego te permite aparecer com prioridade para essas pessoas. O tráfego pago bem gerido permite que você entregue o que você quer para as pessoas que gostariam de receber aquele tipo de conteúdo”, finaliza Marina.
 

Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp