01/07/2024 às 15h34min - Atualizada em 05/07/2024 às 04h07min

Enchentes também danificam peças da suspensão. Saiba o que fazer para evitar prejuízos

MARCEL BRUNO SALGUEIRO - GRUPO PRINTER COMUNICAçãO
DRiV Tenneco do Brasil
Rafa Neddermeyer - Agência Brasil
  • Contato com água e detritos podem comprometer a funcionalidade e a vida-útil de amortecedores e demais componentes
  • Supervisor da Monroe explica quais os principais danos e como proceder no reparo das peças afetadas em alagamentos
Enchentes são potenciais fontes de danos e inutilização de veículos automotores. Motor, transmissão, sistemas eletrônicos, painéis e estofamentos são especialmente afetados nessas situações.  No entanto, os sistemas de suspensão e direção também sofrem danos nesses casos e por isso, precisam receber a mesma atenção dos demais componentes. Por estarem localizados próximos às rodas, esses dispositivos ficam potencialmente vulneráveis ao contato com as águas das chuvas.  Além disso, transitar em vias alagadas é um grande risco, não apenas pelos danos gerados pelo contato com a água contaminada, mas pelas demais ameaças que ficam submersas e escondidas aos olhos dos motoristas e que são igualmente prejudiciais. A Monroe, marca de amortecedores da DRiV, divisão para o aftermarket da Tenneco Automotive, explica como o sistema de suspensão e seus derivados podem ser afetados em alagamentos e como agir nesses casos.

Danos provocados pelos alagamentos

Entre os itens da suspensão que podem ser especialmente afetados nas enchentes estão amortecedores, molas, bandejas, buchas, pivôs, junta homocinética, terminais axiais e de direção. Um dos principais riscos oferecidos para as peças atingidas é a corrosão, provocada pela exposição das partes metálicas à água contaminada. O descolamento dos elementos metálicos das peças de borracha e a contaminação dos sistemas articulados com detritos carregados pelos alagamentos também afetam o funcionamento do conjunto, prejudicando sua eficiência, que compromete a dirigibilidade do veículo.

“Os amortecedores merecem uma atenção especial, principalmente se já apresentarem algum nível de desgaste”, recomenda Juliano Caretta, supervisor de treinamento técnico da DRiV. Ele explica que, além da ferrugem, que prejudica o funcionamento das partes metálicas, a infiltração de água no interior do produto pode ser outro problema, pois pode se misturar com o óleo do amortecedor. Isso reduz sua eficácia e vida útil e pode levar ao comprometimento das condições de direção e estabilidade ao dirigir. “Há também a ameaça de quebras provocadas por buracos, valetas e outros obstáculos que estiverem debaixo d’água, já que o motorista tem dificuldades de identificá-los, ao trafegar numa via alagada”, complementa.

Outro sistema que pode ser afetado é o de direção, que trabalha em conjunto com a suspensão. A entrada de água nos compartimentos internos pode comprometer o desempenho da caixa de direção. Com isso, o veículo apresentará sérias dificuldades no controle direcional. Os freios também merecem toda a atenção nesses casos, pois atuam em sintonia com os amortecedores e demais elementos do conjunto da suspensão. Seu mau funcionamento pode, com o tempo, comprometer a eficiência das demais peças, que também apresentarão defeitos.

Reparando uma suspensão afetada em uma enchente

Ao receber um veículo atingido por uma enchente, os reparadores precisam se atentar para avarias ou deformações, realizando uma inspeção visual em toda a estrutura da suspensão, verificando pontos de ferrugem nos componentes metálicos, assim como a integridade, a flexibilidade e possíveis folgas nas peças de borracha e o acúmulo de água e resíduos nos dispositivos articulados. Havendo qualquer sinal de dano, é indicada a substituição do produto afetado, por um similar novo e de boa procedência. Isso se faz necessário porque essas peças são consideradas itens de segurança e não podem ser reaproveitadas. A recomendação é que o profissional faça uma revisão geral, utilizando um check list como referência para mapear todos os itens do sistema, para uma checagem criteriosa.

Manter o veículo em boas condições de uso e manutenção, minimizará possíveis ameaças de danos mecânicos, caso o motorista tenha que trafegar por uma via alagada. Outro alerta importante: em casos de enchentes, se possível, não trafegar pelas áreas afetadas e aguardar que os alagamentos diminuam para seguir viagem. Dessa forma se preservam a integridade do veículo e a segurança de seus ocupantes.

A Monroe e a Monroe Axios oferecem uma linha de produtos produzida com procedimentos especialmente desenvolvidos para oferecer maior resistência e durabilidade em ambientes severos, contra umidade, poeira e demais contaminantes. Eles incluem a aplicação de pintura com tintas com tratamento anticorrosão e tratamentos nas superfícies de metal como zincado branco, bi cromatizado ou galvanizado. Para conhecer toda a linha de produtos, acesse monroe.com.br e monroeaxios.com.br.
 

Notícia distribuída pela saladanoticia.com.br. A Plataforma e Veículo não são responsáveis pelo conteúdo publicado, estes são assumidos pelo Autor(a):
MARCEL BRUNO SALGUEIRO
[email protected]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp