24/11/2023 às 00h44min - Atualizada em 24/11/2023 às 00h44min

Infarto é a maior causa de mortes no Brasil: Cardiologista explica o que ocorre no organismo e aponta fatores de risco

Segundo o Instituto Nacional de Cardiologia (INC), as internações por infarto aumentaram mais de 150% no Brasil entre 2008 e 2022. De acordo com o cardiologista e diretor médico assistencial do São Cristóvão Saúde, Dr. Fernando Barreto, esse crescimento pode ser atribuído ao aumento significativo dos fatores de risco para doenças cardiovasculares. 
Entre eles, o médico ressalta obesidade, hipertensão, diabetes mellitus, dislipidemia (aumento de colesterol e triglicérides), estresse e tabagismo como potenciais fatores para desencadear um ataque. “No momento do infarto agudo do miocárdio, há uma obstrução súbita de uma artéria coronária, o que leva a uma interrupção do fluxo de sangue para o músculo cardíaco (miocárdio), causando isquemia e fibrose daquela região do miocárdio”, comenta o médico especialista.   
Além disso, segundo Dr. Barreto, a incidência de casos aumenta proporcionalmente com a idade, frequentemente em pacientes acima de 35 anos. Em jovens, são mais comuns quando há a presença de fatores de risco, como os descritos. “Também presenciamos em jovens o infarto relacionado ao uso de drogas ilícitas, que causam vasoconstrição das coronárias, levando à diminuição da irrigação de sangue do miocárdio e, consequentemente, ao infarto”. 
Segundo o cardiologista, o infarto em jovens pode ser mais letal em razão da menor presença no corpo de artérias colaterais, em relação aos indivíduos idosos.  
Tratamento e prevenção
Dados divulgados pelo Ministério da Saúde alertam sobre a gravidade de um infarto, que exige cuidados médicos imediatos. Por essa razão, identificar os sintomas pode ser decisivo para salvar uma vida. Os principais pontos a se atentar, de acordo com a biblioteca virtual do governo federal, são: 
Dor ou desconforto na região peitoral: A sensação pode irradiar para as costas, rosto, braço esquerdo e, raramente, o braço direito. Costuma ser intenso e prolongado, acompanhado de sensação de peso ou aperto sobre tórax; 
Esses sinais costumam ser acompanhados de suor frio, palidez, falta de ar e sensação de desmaio;
A dor também pode ser no abdome, semelhante à dor de uma gastrite ou esofagite de refluxo, mas é pouco frequente;
Em diabéticos e idosos, o infarto pode ocorrer sem sinais específicos. Por isso, deve-se estar atento a qualquer mal-estar súbito apresentado por esses pacientes.
Desse modo, uma alimentação adequada e a prática regular de exercícios físicos são a melhor forma de prevenção. Além disso, a cessação do tabagismo e prevenção de doenças como a aterosclerose, diabetes e obesidade são fundamentais para evitar o entupimento das artérias e consequente infarto. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp