28/03/2024 às 10h21min - Atualizada em 29/03/2024 às 16h17min

Parque Nacional de Ubajara (CE) recebe curso para conservação de cavernas turísticas

Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas (ICMBio/Cecav)
Foto: Vitor Moura
Com o objetivo de desenvolver práticas de conservação, redução de impactos e recuperação de danos em cavernas turísticas, o Parque Nacional de Ubajara (CE) recebeu do dia 18 a 22/3 o curso “Introdução às práticas de conservação e recuperação em cavernas turísticas”. O local preserva 11 cavidades naturais, entre elas a Gruta de Ubajara e a Gruta do Urso Fóssil. A atividade é promovida pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas (ICMBio/Cecav) e será realizada em mais duas unidades de conservação: parques estaduais de Terra Ronca (GO) e do Alto Ribeira (SP). O curso tem como público-alvo condutores de visitante credenciados, brigadistas, além de gestores das unidades de conservação.

O trabalho é conduzido pelos espeleólogos Luciana Alt e Vitor Moura e busca sensibilizar os participantes em relação à importância e fragilidade das cavernas e do carste, praticando noções de conduta consciente e difundindo a necessidade de evitar a geração de novos danos ao ambiente cavernícola.

“Muitos dos problemas e danos observados nas cavernas turísticas são fruto do desconhecimento sobre a importância e fragilidade desses ambientes. Na maioria das cavernas brasileiras, localizadas dentro ou fora das unidades de conservação, notam-se inúmeros danos associados à visitação sem o devido controle, como pichações, quebra de espeleotemas, alteração de habitats da fauna cavernícola, entre outros. Esses danos podem ser evitados por meio de mudanças de conduta, decorrentes de ações de educação ambiental efetiva, que promovam um diálogo respeitoso, inclusivo e participativo, afirmaram os espeleólogo, Luciana Alt e Vitor Moura.

De acordo com o último Anuário Estatístico do Patrimônio Espeleológico Brasileiro o Brasil conta com registros de 23 mil cavernas. Em 2021, 1.118 novas cavernas foram inseridas no Cadastro Nacional de Informações Espeleológicas (Canie), o que representa uma média anual superior a 1.277 novas cavernas cadastradas nos últimos 13 anos. A conservação de cavernas está diretamente relacionada à conservação de aquíferos, nascentes, biodiversidade, geologia, além da cultura e a história do país.

O curso “Introdução às práticas de conservação e recuperação em cavernas turísticas” é uma das atividades previstas no Plano de Ação Nacional para Conservação do Patrimônio Espeleológico Brasileiro (PAN Cavernas do Brasil), realizado com o apoio do Termo de Compromisso de Compensação Espeleológica (TCCE ICMBio/Vale nº 01/2022), firmado entre o ICMBio e a Vale S.A., com gestão operacional do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS).


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp