28/03/2024 às 15h17min - Atualizada em 29/03/2024 às 00h05min

O dinheiro pode comprar melhores cuidados de saúde?

Case Comunicação Integrada
https://iqg.com.br/
Divulgação IQG

Mara Machado*
 

Examinar o setor de saúde através de lentes focadas nos custos revela uma tendência perturbadora. O custo per capita dos cuidados médicos, está entre os mais elevados do mundo, cresce em média 3,5% anualmente e é provável que continue a aumentar.

Historicamente, a maioria das abordagens orientadas para os custos para resolver estas questões tem dependido das intervenções governamentais para regular o mercado dos cuidados de saúde.

No entanto, o atual clima político põe em dúvida a probabilidade de que uma solução política abrangente seja implementada no Brasil num futuro próximo.
 

E se priorizássemos resultados de qualidade?

O debate sobre os cuidados de saúde centra-se frequentemente em duas questões principais: qualidade e custo. Contudo, devido às características únicas dos cuidados de saúde, esta relação não é tão simples como pode parecer.

O foco em resultados de qualidade alcança melhorias na saúde e reduz custos, incentivando as opções de tratamento mais eficientes e eficazes. Em vez de procurar maximizar os lucros aumentando o número de serviços prestados aos pacientes, é preciso identificar e prosseguir os planos de tratamento com melhor relação custo-benefício, e com qualidade.

A gestão da qualidade apoia a eliminação de serviços desnecessários, reduz custos administrativos e aumentam a qualidade do atendimento, o que, por sua vez, reduz custos sem ter um impacto adverso na saúde dos pacientes.

Melhorar o sistema de saúde brasileiro é uma tarefa desafiadora que requer uma compreensão profunda do quadro de incentivos que perpetua o status quo. Concentrar-se apenas na redução dos custos dos cuidados de saúde, embora pareça ser um objetivo que vale a pena, resolve apenas metade do problema.

No entanto, dar prioridade a resultados de cuidados de saúde de qualidade aborda os principais problemas do sistema de saúde e obtém custos mais baixos como consequência positiva.

É urgente uma política nacional que aborde diretamente aspectos da qualidade dos cuidados, combinado com políticas relacionadas, uma vez que afeta os custos dos cuidados. A nossa premissa é que os problemas de qualidade podem não ser o resultado de restrições de financiamento, mas as questões de qualidade contribuem significativamente para o aumento do financiamento.

 

*Mara Machado é CEO do Instituto Qualisa de Gestão (IQG), que há 30 anos capacita pessoas e contribui com as instituições de saúde para reestruturar o sistema de gestão vigente, impulsionar a estratégia de inovação e formar um quadro de coordenação entre todos os atores decisórios.

O IQG vem trabalhando com parceiros internos do setor e externos para favorecer a geração de novas frentes para o sistema e colocar os prestadores de serviços em posição mais ativa.

Atua no desenvolvimento de novas e modernas soluções para atender com agilidade as exigências do mercado atual.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp