26/03/2024 às 13h18min - Atualizada em 27/03/2024 às 00h08min

Após 10 anos, varejo de Belo Horizonte tem o melhor mês de janeiro

Depois de uma década de recuo e períodos de crescimento tímido, setor reage positivamente às mudanças econômicas como queda da taxa de juros e aumento da massa salarial. Para CDL/BH, se cenário persistir, recuperação será ainda melhor ao longo do ano

Assessoria de Imprensa
https://www.cdlbh.com.br/imprensa/apos-10-anos-varejo-de-belo-horizonte-tem-o-melhor-mes-de-janeiro/
Divulgação
 

O comércio varejista da capital mineira iniciou 2024 com uma boa notícia. Após 10 anos, o setor encerrou o mês de janeiro com crescimento. O levantamento “Termômetro de Vendas”, elaborado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), mostra que houve um incremento de 1,92% no volume de vendas em comparação ao mês anterior (Dez.23). 

“É um crescimento histórico. Viemos de uma trajetória marcada por quedas, especialmente entre os anos de 2015 a 2018. Em 2019 tivemos um crescimento discreto, porém, na sequência voltamos a cair, por conta da pandemia. 2020 e 2021 foram de recuo. Em 2022 e 2023 tivemos crescimentos tímidos. Alcançar um aumento de quase 2% demonstra que nosso comércio está vivo e reagindo bem às mudanças econômicas”, analisa o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva. 

 

Ainda de acordo com o dirigente, a contínua geração de empregos, o aumento da massa salarial e a redução dos juros, como o recente sexto corte da taxa Selic, têm permitido às famílias exercer maior consumo.

 

“Janeiro, normalmente, é um mês desafiador para o varejo devido às obrigações fiscais como IPVA e IPTU, que impactam diretamente na renda das famílias. Ainda assim, os resultados surpreenderam positivamente e obtiveram o melhor desempenho para o período nos 10 últimos anos. Se esse cenário persistir, a tendência é que, ao longo do ano, a recuperação econômica seja ainda mais significativa”, acredita. 

 

Na comparação mensal (Jan.24/Dez.23), todos os segmentos do varejo de Belo Horizonte tiveram performances positivas, com destaque para:

 

·  Drogarias e Cosméticos: 13,33%

·  Informática: 10,6%

·  Supermercados: 8,5%

·  Papelaria e Livraria: 7%

·  Eletrodomésticos e Móveis: 6,89%

·  Vestuário e Calçados: 4,89%

·  Material Elétrico e de Construção: 3,34%

·  Artigos Diversos: 2,65%

·  Veículos e Peças: 1,5%

A análise comparativa anual (Jan.24/Jan.23) também ficou acima dos últimos 10 anos e cresceu 1,84% no termômetro de vendas. Na comparação dos últimos 12 meses (Jan/24/Fev.23), o crescimento foi de 1,79%. Nesse período, todos os segmentos do varejo cresceram acima da média. Os avanços registrados foram: Drogarias e Cosméticos (8%); Supermercados (6,1%); Papelarias e Livrarias (4,97%); Informática (4,34%); Artigos Diversos (3,11%); Eletrodomésticos e Móveis (3,01%); Material Elétrico e Construção (2,97%); Vestuário e Calçados (1,26%); Veículos e Peças (0,23%). 

“O consumo em Belo Horizonte tem se mantido robusto, estimulado por um ambiente de taxas de juros reduzidas, inflação em declínio e mercado de trabalho forte. Dentro de nossa realidade, estamos acompanhando o ritmo nacional e estadual de crescimento das atividades econômicas no varejo. Isso é um sinal positivo de recuperação econômica”, finaliza Marcelo de Souza e Silva.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp