26/03/2024 às 13h43min - Atualizada em 27/03/2024 às 00h03min

A bailarina e atriz Marcela Páez apresenta, “2415” - uma dança-instalação, no Sesc Pompeia, de 02 a 04 de abril, às 20h30, cercada e engolida por mares de plástico

Cultura

Micheletto Comunicação
Divulgação
Foram necessários um ano e meio de pesquisa para que a dança-instalação “2415” ficasse pronta para os palcos.  Criada e interpretada por Marcela Páez, que dedica sua vida ao teatro e a dança como artista e educadora, o solo nasceu da urgência gerada pelo avanço desenfreado das crises climática, ecológica e social que estamos vivendo e, em especial, o perigo gerado pelo excesso de material plástico no planeta. Com estreia marcada para o dia 02 de abril, 20h30, segue em curta- temporada nos dias 03 e 04, quinta e sexta-feira, no Espaço Cênico do Sesc Pompéia (Rua Clélia, 93, Água Branca).
Ingressos link: https://www.sescsp.org.br/programacao/”2415”/.

“Eu fiquei indignada quando notícias, pipocando por aí, mostravam pesquisas científicas sobre estruturas rochosas feitas de plástico na Ilha de Trindade* e minhocas consumindo plástico. Alguns autores contemporâneos discutem como essas transformações na biosfera não são fruto de uma ação humana genérica, mas sim da forma capitalista de ocupar o planeta, essa lógica de consumo e produção. Pensei em transformar essas questões tão importantes para o futuro da humanidade numa dança-instalação, provocativa, sensorial e meditativa, com muitos silêncios. A plateia sai com uma impressão muito forte pois não faço o solo sozinha, o plástico dança comigo num mar de plástico. É inquietante”, explica Marcela.

Inspiração

Marcela iniciou essa pesquisa durante o mestrado em Artes da Cena, que concluirá este ano. Segundo a atriz e bailarina, quando lideranças indígenas e acadêmicos (sejam biólogos, antropólogos, filósofos, etc.) denunciam essas realidades, muitas vezes eles convocam produções artísticas para que tragam essas discussões à tona em todas as suas expressões. “Então pensei em como transformar todo esse arcabouço teórico de autores como - Ailton Krenak, Donna Haraway, Vincianne Despret e Jason Moore – num solo. Encontrei na dança-instalação a forma de mostrar a potência da arte para provocar essa discussão, onde as inquietações ecológicas são as protagonistas”.

Do trabalho de um desses autores surgiu a ideia de batizar o solo de “2415”, pois numa produção futurista discute-se que, em 400 anos, o planeta não será mais o mesmo no qual, a imensa maioria das espécies que se conheciam em 2015, já não existirão.

Monstro do Lago Ness?

Marcela Páez buscou inspiração para desenvolver a criatura protagonista do solo, em seres invertebrados, cheios de tentáculos autônomos. Sai de cena o foco no cérebro e a figura vertebrada da artista mergulha no modo de ser invertebrado. Nasce, então, uma figura que emerge do mar plastificado. Como um Monstro do Lago Ness envolto em quilos e quilos de plásticos guardados durante uma vida. Será que são esses monstros que encontraremos no planeta em 400 anos?

*Pesquisa científica -  https://ufpr.br/ciencia-ufpr-pesquisadores-encontram-rochas-formadas-por-plastico-na-ilha-de-trindade/

Sobre Marcela Páez – Atriz e Bailarina, atua como educadora ministrando aulas de teatro e de dança. Filha de mãe Argentina e pai Chileno, considera-se uma atriz latino-americana. Teve oportunidade de conhecer países como Chile, Argentina, México e participou de Festivais em New York e Espanha. O solo “2415” teve sua estreia em outubro de 2023, no Teatro do Centro da Terra (SP) e, desde então, tem sido um ponto focal para reflexões sobre o futuro da vida no planeta.  Atualmente seu livro de cabeceira é O Cogumelo do Fim do Mundo – sobre as possibilidades de vida nas ruínas do capitalismo, da etnóloga Ana Tsing. Sua filosofia de vida é inspirada na frase: "que nadie escupa sangre para que otro viva mejor", de Atahualpa Yupanqui.

Ficha Técnica
Concepção e Performance: Marcela Páez
Música original: Bruno Torrano
Iluminação: Nara Zocher
Produção executiva: Júlia Iwanaga
Figurino: Ateliê Vivo por Andrea Guerra, Carol Cherubini, Flavia Lobo e Gabriela Cherubini
Assessoria Cenotécnica: Inflou por Andrea B.
Narração: Sofia Maruci
Texto: Marcela Páez, inspirado em "The Camille Stories" de Donna Haraway
Orientação de pesquisa: Juliana Moraes
Registros em vídeo: Marcelo Carreño
Registros fotográficos: Jorge Yuri e Juliana Moraes.
Duração: 40 minutos
Classificação indicativa: 10 anos


DANÇA – INSTALAÇÃO “2415”
ARTISTA – Marcela Páez
DATAS:  de 2 a 4 de abril, terça a quinta, às 20h30.
LOCAL: Espaço Cênico – Sesc Pompeia
ENDEREÇO - Rua Clélia, 93, Água Branca.
INGRESSOS: R$40 (inteira), R$20 (meia-entrada), R$12 (credencial plena)

Sesc não tem estacionamento.
Para informações sobre outras programações, acesse o portal:
sescsp.org.br/pompeia 

instagram.com/sescpompeia  
facebook.com/sescpompeia  
Para credenciamento, encaminhe pedidos para [email protected] 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp