26/05/2023 às 17h33min - Atualizada em 26/05/2023 às 17h33min

Capital em obras; nova cara e melhorias na vida da população

Intervenções são feitas em várias frentes, com construções de UPAs e escolas e obras de contenção de enchentes: só de asfalto já foi pavimentado o equivalente à distância entre São Paulo e Uruguai

A população de São Paulo está ganhando novas obras que vêm mudando em ritmo acelerado a realidade de muitas pessoas, melhorando a qualidade de vida nos bairros e gerando empregos. As ações da Prefeitura vão desde grandes projetos, como a construção de unidades de saúde e de escolas, obras de contenção de enchentes até a revitalização de espaços públicos.   
As intervenções de combate à enchente, por exemplo, seguem em ritmo acelerado em vários pontos da cidade durante o período mais seco do ano para combater um problema que há anos prejudica a população. A Prefeitura não está priorizando apenas a construção de novos piscinões, galerias e canalizações, mas também recuperando margens e muros de arrimo em córregos, e recompondo galerias.  
Somente com relação à drenagem, a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb) mantém 51 obras, dentre elas: recuperação de margens e muros de arrimo em córregos, recomposição de galerias, construção de novos piscinões, galerias e canalizações. Também tem nove intervenções para contenção e estabilização de taludes em vias públicas, 9 obras para recuperação de pontes, viadutos e túneis, 11 intervenções para reforma e manutenção de escolas e equipamentos públicos. A SIURB também está trabalhando na construção de 28 novas unidades educacionais, dentre elas CEIs, EMEIs e EMEFs.  
Essas ações vão reforçar o trabalho permanente que é feito pela Prefeitura com manutenções nos sistemas de macro e microdrenagem, assim como proteção na contenção de encostas e estabilização de terrenos, especialmente em áreas se risco, além da limpeza e manutenção de galerias e piscinões. 
Um exemplo disso é a canalização do córrego Água dos Brancos e outras obras de infraestrutura que vão beneficiar cerca de 870 mil pessoas que vivem no Capão Redondo, Campo Limpo, Vila Andrade e no Jardim São Luís, na Zona Sul da capital. Atendendo a uma demanda histórica da região, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Siurb e da SPObras, está investindo R$ 179 milhões nas intervenções, que foram iniciadas em julho de 2022 e devem ser concluídas até maio de 2025.  
“Queremos dar dignidade para uma população que sofre com enchentes há 40 anos. Há 40 anos temos residências inundadas e já tivemos mortes aqui, infelizmente. Agora, a Prefeitura faz essa grande obra para amenizar o problema já a partir das próximas chuvas em 2024”, disse o prefeito Ricardo Nunes.  
Em vistoria às obras de contenção do córrego Jacupeval, em Itaquera, na Zona Leste, no sábado (13), o prefeito conferiu que os moradores já estão sendo beneficiados. Apesar de ainda não estar concluída, a intervenção trouxe mais segurança e qualidade de vida a mais de 124 mil moradores daquela região.   
Os trabalhos de recuperação das encostas, que começaram em janeiro deste ano, também transformaram o cenário local com nova pavimentação e um jardim. Realizados pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras, os serviços serão finalizados em julho.    
O local apresentava risco aos moradores, devido ao avanço do processo erosivo ocasionado pelo grande volume de chuvas do decorrer do último ano. Para resolver o problema, foram realizados escavação, desassoreamento, contenção e recuperação do fundo do canal para dar estabilidade ao curso d’água. Com isso, saem a lama e a sujeira, que fizeram parte do dia a dia da população, para nascer um ambiente revitalizado.
Moradora do Jardim Guarani, onde fica o córrego, a cozinheira Leonice da Cruz Cerqueira comemora a mudança. “Era terrível, tinha muito lixo, lama, poeira. Isso aqui agora está muito bonito, vai mudar a vida da minha família e dos vizinhos”, diz. 

Mais saúde e educação  
Além da construção de habitações voltadas à população de baixa renda, incluindo quem vive em áreas de risco, a Prefeitura prioriza também a entrega de novas escolas e de unidades de saúde, principalmente nas regiões mais carentes da cidade. Até 2024, serão implantadas 12 unidades Centros Educacionais Unificados (CEUs) na capital, que estão previstos no Programa de Metas. Também estão em construção 28 novas unidades educacionais, dentre elas CEIs, EMEIs e EMEFs, que irão beneficiar 11 mil alunos.  
No total, são 140 obras na área da Educação, abrangendo a construção de novas escolas, reformas/manutenções, reconstrução de muros de arrimo, e construção de 5 pistas de skate em Centros Educacionais Unificados; 31 obras de recuperação de unidades estruturais de pontes e viadutos; 1 obra de drenagem no córrego Água dos Brancos para combate às enchentes na região do Capão Redondo; requalificação dos calçadões do Triângulo Histórico; requalificação da Av. Santo Amaro; implantação de três unidades do Descomplica SP; reforma da Praça das Artes; reforma do Monumento À Independência (fase 2); e implantação das novas sedes do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho. Juntos, os valores dos contratos mencionados representam um investimento de R$ 1,129 bilhão na infraestrutura da cidade.  
Estão em andamento ainda as obras que vão causar um grande impacto positivo na área da saúde, como da UBS Cosmopolita, UBS Keralux, UBS Atualpa, UBS Conquista II; UPA Carrão e UPA Rio Pequeno. 
Melhorar a pavimentação da cidade é outro destaque entre as obras executadas pela Prefeitura. Desde o dia 20 de junho, a Secretaria Municipal das Subprefeituras já concluiu 164 trechos, que correspondem a cerca de 4 milhões de metros quadrados. 
No momento, há 79 trechos em andamento, que totalizam uma área de mais de 1,8 milhão de metros quadrados. Somando as áreas já concluídas, em execução e as contratadas, o programa ultrapassou 6,6 milhões de metros quadrados. Desde o dia 20 de junho, início do programa, foram finalizados 1.683 km, o que corresponde à distância entre São Paulo e Montevideu, no Uruguai. 
O programa usa as tecnologias da informação e de engenharia para diagnosticar as condições e os problemas nas vias, soluções de recomposição do pavimento de acordo com a patologia apresentada e recuperação da malha viária com asfalto de qualidade superior. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://novojorbras.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp